TODA CRIANÇA GOSTA DE BRINCAR E DE LER.

SEJA BEM-VINDO AO SITE DE LEITURA DA TURMA DO GUARANÁ. AQUI VOCÊ ENCONTRA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, CONTOS, DESENHOS E MUITA DIVERSÃO!

segunda-feira, 12 de março de 2012

BOLACHA E A PLANTA CARNÍVORA

      Olá, amiguinhos. 
Obrigado por mais esta visita ao blog.
O nosso planeta Terra é muito bonito, é a nossa casa, onde moramos e interagimos com os outros seres vivos. Devemos proteger e cuidar da natureza, dos animais e plantas, porque deles precisamos. Não se esqueça de quando for  passear, seja na praia, campo ou cachoeira; de recolher todo o lixo e depositá-lo na lixeira.
Em homenagem a natureza, escrevi esta história divertida com a Bolacha. 

Paulo Alves






BOLACHA E A PLANTA CARNÍVORA

       O Jardim de Bolacha tem muitas espécies de plantas, com flores lindas. Tem margarida, crisântemo, gardênia, violeta, rosa, orquídea, jasmim e outras tantas. Ela adora plantas, e para mantê-las bonitas tem vários cuidados. O orgulho maior do jardim é o pé de acerola, que todo ano produz frutos vermelhos, adocicados e levemente azedos. São tão grandes que lembram pequenas maçãs vermelhas.
       Uma vez, aconteceu que Bolacha e toda a turma foram visitar o Lago Doce – aquele que contém suco de mexerica que escorre lá do alto da Pedra. Ela bateu um papo com o Urso Azul, o guardião da Floresta Secreta. Ele soube que ela adorava plantas, e deu-lhe de presente um belo espécime de planta carnívora. Bolacha ficou muito feliz, pois tinha mesmo grande curiosidade de conhecer uma destas plantas que comem insetos. Ela levou a planta para casa e pesquisou em vários livros, e também na internet para saber mais.
       - Você vai ficar aqui, comedora de insetos. – disse Bolacha à plantinha, colocando-a próxima a acerola.     
       Ela conversava com as plantas, como fazem várias pessoas amantes destas criaturinhas verdes. As pessoas acreditam que as plantas ouvem o que se diz, e que têm sentimentos, como os animais. Eu acredito nisso também, porque são seres vivos, e precisam não somente de água, luz e minerais, mais de cuidados e carinho, e respondem a tudo isso se tornando viçosas, produzindo belas flores e frutos deliciosos. Que planta não gosta de uma água caindo sobre suas folhas, sol pela manhã e uma sombra a tarde?
       Bolacha acordava bem cedo para regar as plantas, e ficava observando a mais nova moradora do jardim. Estava orgulhosa de ter ali, no jardim, planta tão exótica. Viu quando aproximou uma abelha,  que pousou sobre ela para sugar o néctar. A planta carnívora fechou-se subitamente, aprisionando em seu interior o pobre inseto. A planta era gulosa e comia várias abelhas, vespas e outros bichinhos voadores que nela pousassem.
       Passado alguns meses, aconteceu algo inesperado no jardim. O pé de acerola, que produzia frutos o ano inteiro, parou de produzir. Bolacha ficou confusa com aquilo, mas não demorou muito, achou a resposta: As abelhas e vespas, sugadoras de néctar das delicadas flores da acerola, estavam sendo devorados pela gulosa do pedaço, a planta carnívora.
        Os insetos pousavam nas flores da acerola, polinizavam, e após isso crescia o fruto. Isso não estava mais acontecendo.

        - Hummm, o que vou fazer com você, comedora de insetos? – perguntou Bolacha à planta.
       Um dia, a mãe a chamou para almoçar, e conversaram:
       - Bolacha, venha almoçar.
       - Caramba, quantas moscas têm por aqui na cozinha. – disse Bolacha à mãe.
       - Pois é, filha. A cozinha está limpa, pois nós a mantemos assim. – respondeu Dona Creusa.
       - Eu sei por que tem tantas moscas. É por causa das lixeiras da vizinhança, que não são tampadas.
       - É por isso mesmo filha. A gente tampa o lixo aqui, mas os vizinhos não cuida, aí as moscas proliferam e vêm pra cá.  O jeito é comprar um remédio para elas. – concluiu a mãe.
       - Não, mãe. Remédio não, veneno. – disse Bolacha, sorrindo para a mãe.
       Foi quando, Bolacha, num momento incrível de raciocínio e inteligência, teve uma idéia brilhante.
       - Mãe, já sei como resolver o caso do pé de acerola.
       - Como, filha?
       - A senhora já vai saber. – Respondeu para a mãe, correndo para o jardim.
       Pegou a planta carnívora, e trouxe para a cozinha. Colocou-a com seu vaso na janela, perto da pia. A mãe ficou curiosa, e não entendeu o porquê da mudança. Mas aconteceu que uma mosca pousou nela, para lamber o líquido adocicado em seu interior, e foi imediatamente aprisionada e devorada.
       - Viu? Nem precisou usar veneno. A planta carnívora vai devorar todas as moscas da cozinha – disse Bolacha para a mãe.
       - Filha, que idéia brilhante! – disse Dona Creusa admirada.
       - Agora não haverá tantas moscas na cozinha, e o pé de acerola voltará a produzir.
       - Que bom, meu amor. Por falar nisso, você aceita um suco de acerola?
       - Claro que sim, mãe. Adoooro!
       E dona Creusa serviu suco de acerola, mas antes de beber, um brinde para comemorar a vitória. Sorriram e tomaram o suco delicioso, bem gelado.

FIM

TODA TERÇA E SEXTA TÊM POSTAGEM NOVA.
Participe: tornando-se membro do blog e deixando seu comentário
O nosso blog:  http://guaranaeturma.blogspot.com


APOIO CULTURAL:
PONTO DE CULTURA PERCURSOS CULTURAIS E O CANTEIROS DE OBRAS -
CENTRO DE CULTURA E ARTES, sediado em Inoã, tem biblioteca e cinema.
Informações: 2636-0012 e 2636-4107  ENTRADA FRANCA


PLANTA CARNÍVORA
Apesar do nome, as plantas carnívoras se alimentam de insetos, como besouros, borboletas e gafanhotos. Somente uma espécie se alimenta de carne: a Nepenthes Rajah, que existe na Indonésia. Ela é grande e pode devorar passarinhos, lagartos e sapos.
Estas plantas atraem suas presas com o perfume do seu néctar, substância adocicada encontrada no interior dela, onde o inseto é envolvido por um líquido digestivo.
As plantas carnívoras necessitam deste complemento alimentar para sobreviver, e devido a degradação do meio ambiente onde vivem, estão em processo de extinção.


Nephentes Wrigleyana
 Nephentes Rajah





                                                       



Nenhum comentário: