TODA CRIANÇA GOSTA DE BRINCAR E DE LER.

SEJA BEM-VINDO AO SITE DE LEITURA DA TURMA DO GUARANÁ. AQUI VOCÊ ENCONTRA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, CONTOS, DESENHOS E MUITA DIVERSÃO!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

LINDÓPOLIS, A CIDADE INVADIDA

Olá, amiguinhos.
Sejam bem-vindos ao nosso blog.

Hoje tem uma história divertida, que trata de um 
assunto muito importante, o combate ao mosquito da dengue.
Se dedicarmos 10 minutos de nosso dia, procurando em casa
e no quintal possíveis focos do mosquito,
estaremos livres desta praga.








LINDÓPOLIS, A CIDADE INVADIDA – PARTE 1

      Era final de tarde, quando as crianças brincavam na praça em frente de casa. Era mais um daqueles dias quentes de verão, e os mosquitos estavam atacando.  As meninas, que já não aguentavam mais as picadas, foram as primeiras a correrem para casa. Era uma invasão de mosquitos, e o pior, eram mosquitos da dengue.
       O prefeito Patonildo precisava dar fim na mosquitada que invadiu a cidade, então reuniu toda a população na Praça Central para avisar os cuidados a serem tomados:
       - Povo de lindópolis, tapem as caixas d’água; limpem os quintais; guardem pneus e garrafas, viradas de cabeça pra baixo, em lugar coberto; tirem a água acumulada nas lajes, e coloquem areia nos pratinhos das plantas – Recomendou o prefeito.
       As crianças da Turma do Guaraná assistiam atentas a tudo o que o prefeito dizia, porque eram dicas muito importantes.
       Guaraná disse , então:
       - Prefeito Patonildo, para acabar com os mosquitos da dengue, eu tenho o Valber Wilson.
       O prefeito se admirou com o que o Guaraná dissera, e sussurrou para o seu assessor.
       - Quem é aquele menino que fala?
       - É uma criança da vila.
       - Pois então, pergunte a ele quem é o Valber Wilson,  que acaba com o mosquito da dengue.
       - Menino, quem é Valber Wilson? – perguntou o assessor do prefeito.
      - É este sapo de estimação. Ele come todos os mosquitos da dengue - Respondeu Guaraná, segurando o sapo na mão.
       O prefeito observou o sapo, que era bem feio, combinava com o nome, coçou a cabeça e teve uma idéia brilhante.
       - Povo de lindópolis, tenho a solução para o mosquito da dengue em nossa cidade. Além de todos adotarem as medidas que já recomendei, distribuirei para todas as casas: sapos, rãs e pererecas.
       E assim foi feito. Não havia um quintal que não tivesse os bichinhos saltitantes. Eles se reproduziam rapidamente, e em poucas semanas, havia milhares, milhões de sapos, rãs e pererecas pulando por toda a cidade.

       Os mosquitos da dengue não desapareceram por completo, porém estavam controlados. Depois disso, lindópolis viveu uma nova invasão: de sapos, rãs e pererecas.
       Paulinha, Bolacha, Tampinha e todas as meninas da cidade estavam apavoradas!
       E agora, como resolver este problema?
       O prefeito pediu ajuda a Bolacha, a menina cientista. Bolacha aceitou o desafio, e após pesquisar nos livros e na internet, finalmente encontrou a solução...

  PARTE 2

      Lindópolis havia sido invadida por milhões de sapos, rãs e pererecas, e o prefeito desesperado foi pedir ajuda a Bolacha, que após pesquisar em livros e na internet, finalmente encontrou uma solução. Seria necessário estabelecer o equilíbio ecológico.
Os animais introduzidos na cidade pela prefeitura se reproduziram rapidamente, invandindo todos as praças, lagos, chafarizes e inclusive a sede da prefeitura.
       Bolacha disse ao prefeito Patonildo o que fazer:
       - Eu pensei em cobras, porém seriam perigosas para a população também. Então, traga para a cidade muitas galinhas, porque elas comerão os filhotes de sapos, rãs e pererecas, e assim se fará o equilíbrio.
       E assim foi feito. Não havia um quintal que não tivesse os bichinhos que ciscam.
       As galinhas comiam os sapos, rãs e pererecas, que comiam os mosquitos da dengue. Tudo ia muito bem, até que as galinhas começaram a se reproduzir e ter pintinhos, e mais pintinhos. Logo cresciam e viravam galos ou galinhas...
      Depois disso, Lindópolis viveu uma nova invasão: de galos, galinhas e pintinhos, que se contavam aos milhões. Havia ovos e ninhos de galinhas espalhados por toda a cidade. Os galos eram bravos, e batiam nos homens que tentavam capturá-los. As galinhas bicavam quem se aproximasse de seus filhotes. Era uma guerra, a tentativa frustrada de capturar os galináceos. O prefeito ficou desesperado e gritou “Socorro! É uma invasão!”.  Chegou mesmo a chamar o exército, mas lhe foi negado.
       Com muita luta, os homens capturavam as aves, mas o que fazer com elas?
       Era final de tarde, quando a Turma do Guaraná, preocupada com a invasão dos bichos, se reuniu na praça para buscar a solução.
       Guaraná, que não é bobo, depois de ter prendido a galinha Claragema no galinheiro, disse aos amigos:
       - Só há um jeito de controlar a invasão.
       - Como? – perguntou Pirrixa.
       - Vamos sugerir ao prefeito que capture todas as galinhas e rãs soltas na cidade.
       - Isso já está sendo feito, mas o que fazer com tantos bichos? – perguntou Paulinha.
       - Ora, as galinhas serão assadas nas padarias, e as rãs serão servidas nos restaurantes.
       - E os sapos e pererecas? – perguntou tampinha.
       - Já entendi. Estes cuidarão dos mosquitos, devorando-os todos os dias - concluiu Bolacha.
       - Isso mesmo! – exclamou Guaraná. 

       Foram para a prefeitura conversar com o prefeito, que após ouvir tudo o que lhe disseram, mandou que recolhessem todas as galinhas e rãs da cidade e as entregasse aos cozinheiros.
       E assim foi feito. Não havia uma padaria que não tivesse galinha assada, e nenhum restaurante que não servisse rã à milanesa.
       O prefeito ficou feliz, porque finalmente a vida na cidade voltava ao normal. Então, ofereceu um almoço especial para a Turma do Guaraná. Foi servido de entrada sopa de rã, depois galinha assada e para sobremesa um delicioso pudim de leite - feito com alguns dos milhões de ovos espalhados pela cidade.
       Todos ainda estavam sentados a mesa, quando de repente, pulou um sapo.
       - Calma pessoal, não se assustem! É apenas o Valber Wilson que veio comer um mosquito que pousou na mesa – disse o Guaraná.
       E todos riram.

FIM

Participe, tornando-se membro do blog.
Envie sugestões, desenhos e críticas para o e-mail da turminha:
turmadoguarana@hotmail.com      E o nosso blog é:  http://guaranaeturma.blogspot.com

DICAS DO BLOG:
Para ver as postagens mais recentes clique em "INÍCIO".
Não deixe de ver o "ARQUIVO DO BLOG" que está recheado de historinhas e desenhos.

APOIO CULTURAL:
CENTRO DE CULTURA E ARTES
 http://canteirosdeobrascentrodeculturaeartes.blogspot.com
http://tracasdobem.blogspot.com



4 comentários:

Jacqueline disse...

O sapo com chifres é sapo boi????

Paulo Alves disse...

O sapo com chifre é o sapo-boi. Achei interessante desenhá-lo assim.
Ficou engraçado. rsss

Paulo Gibi disse...

Combater a Dengue é mesmo importante, e com a criatividade do amigo é muito divertido. Abs.

Paulo Alves disse...

Pois é, meu querido Paulo.
Todas as iniciativas de avisar às pessoas sobre o perigo da dengue são importantes.
Um grande abraço

Paulo Alves